EDUCAÇÃO E TECNOLOGIA: O uso de mensagens eletrônicas instantâneas como recurso didático na EJA EaD




A Educação de Jovens e Adultos (EJA) é uma modalidade de ensino que vem gradativamente ampliando espaços nas discussões e reflexões de educadores e pesquisadores de todo o país. Ano a ano, milhares de jovens, adultos e idosos procuram as escolas com o objetivo de retomar os estudos, pelos mais distintos motivos: pretensão de mudança de emprego, satisfação pessoal, desejo de cursar Ensino Técnico e/ou Ensino Superior, adquirir aprendizagem, necessidades de possuir estudos, entre outros (TEIXEIRA, PASSOS, 2012). São participantes ativos, com legados históricos, que veem na EJA uma chance de adquirir conhecimento. Nesse contexto, considerando a importância, complexidade e diversidade da modalidade, chama-se a atenção à formação docente para Educação de Jovens, Adultos que está prevista na Lei de Diretrizes e Bases – LDB 9394/96, em seu Art. 61: a necessidade de “formação de profissionais da educação de modo a atender aos objetivos dos diferentes níveis e modalidades de ensino e as características de cada fase do desenvolvimento do educando” (BRASIL, 1996).

O Trabalho trata-se de um relato de experiência vivenciada durante as atividades de intervenção que realizada com estudantes da Educação de Jovens e Adultos do Ensino Fundamental a distância de uma instituição privada. Diante do aumento do uso de tecnologias em sala de aula e do aperfeiçoamento dos recursos aplicados como ferramentas pedagógicas, com o objetivo de investigar como a tecnologia e a comunicação podem estar associadas na relação ensino e aprendizagem. Freire (2000) destaca que o processo de formação perdura ao longo da vida, o homem não para de educar-se e com as ações do dia a dia provocam desenvolvimento de competências e habilidades. A metodologia do projeto teve abordagem histórico crítica, no qual por meio da problematização do conteúdo procurou-se instigar a pesquisa, análise, discussão, utilizando como recurso tecnológico o app Whatsapp, visto que esse artefato tecnológico faz parte de seu cotidiano. Nesse ínterim foi possível desvelar que a experiência de utilização das TIC pode ser considerada significante instrumento de construção do conhecimento científico, quando realizado de forma cooperativa e mediado pelo docente. Espera-se contribuir para formação digital dos estudantes do Ensino Fundamental EaD diversificando recursos tecnológicos e o senso crítico ao acessar e contribuir-nos diferentes espaços virtuais.


Trabalho apresentado na Semana de Ensino, Pesquisa e Extensão do Setor de Educação. (SEPE - UFPR, 2018)
Coordenadora Pedagógica: Nívia Moreira de Camargo (nmcamargo@gmail.com)
Professora Especialista e líder da GEG Joinville: Graziela München (grazi.munchen@gmail.com)

Referências:
FREIRE, Paulo. Pedagogia da Indignação: cartas pedagógicas e outros escritos. São Paulo: UNESP, 2000.
Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei número 9394, 20 de dezembro de 1996.
TEIXEIRA, L.A; PASSOS, M. M; O que leva jovens e adultos a buscar a EJA? III Seminário Nacional de Ensino de Ciências e Tecnologia; Ponta Grossa, PR; 2012.